Controlar as Emoções: o exemplo de Sir Isaac Newton

Luís Lobo Jordão, CFA

The Dividend Hall of South Sea House.png

Quem passa muitos anos nos mercados financeiros, habitua-se a ouvir falar frequentemente em ‘bolhas’. Mas, em 2017, tal tem sido especialmente notório, falando-se de bolhas em acções, obrigações, imobiliário, arte, cryptomoedas, etc. O principal visado tem sido o Bitcoin, com uma valorização de mais de 10x desde o início do ano!

Gosto de olhar para a história de modo a retirar ilações sobre o presente - “History doesn’t repeat itself, but it does rhyme” (dito atribuído a Mark Twain) – pelo que trago o gráfico da evolução da South Sea Company e os investimentos e desinvestimentos de Sir Isaac Newton, físico e matemático inglês, e um dos maiores e mais influentes cientistas da História. Penso que o gráfico espelha bem a evolução ‘emocional’ e a psicologia do investidor (ou especulador) numa bolha, mesmo os que têm grandes QIs…

Isaac Newton South Sea Company 2.jpg

Newton investiu na South Sea Company e, estando a ganhar 100% em poucos meses, desinvestiu da acção. A acção continuou a valorizar, ainda mais rápido do que antes, e, levado pelo entusiasmo do mercado, FOMO (fear of missing out) e a natural comparação com outros investidores, acabou por investir as suas poupanças a um nível bem mais elevado, quase no pique. Newton acabou assim por transformar os ganhos anteriormente obtidos numa perda quase total das suas poupanças, quando a bolha rebentou (corresponderia, actualmente, a uma perda de cerca de $3 milhões).

Nunca sabemos até onde vão as bolhas, nem quando rebentam. As únicas defesas dos investidores são a diversificação, o pensamento crítico e independente, e o controlo das suas emoções.

Os próximos anos serão certamente interessantes. Feliz 2018!

Artigo escrito para a rubrica ‘Chart of the Week’ da Funds People Portugal